Botões da fábrica “Santa Marina” que forma talvez os pioneiros na arte do jogo de botão, criaram o famoso FUTEBOL MINIATURA que depois seria chamado de BolaGol. Algumas partes do depoimento do meu amigo Adolpho Goneli filho do criador da marca:
– Lá pelo ano de 1925, meu pai retornou a Itália e gostou de um material que, na época era novidade,… o galalite que é obtido da caseína do leite. Comprou uma caneta “Montblanc” tigre de 1919 (tenho ela até hoje) e se entusiasmou com o material. Importou 500 kg de galalite e começou a fabricar, algumas coisas: Calçadeiras para sapatos, botões para camisas/capas, etc.
Posteriormente, com os cassinos funcionando a pleno vapor, começou a fabricar fichas para jogos e forneceu para os maiores cassinos da época (dentre eles, o da Urca, no RJ).
Aí, percebeu que muita gente usava os botões para jogar um tal de futebol de botão em que eram usados botões comuns e grandes das capas da época, Então….porque não aproveitar o material e dar um formato mais adequado e gravar distintivos de clubes (hot stamping)? Aí surgiu o precursor do Bolagol que, a principio, tinha embalagem sem destaque maior e tinha 10 botões, uma peça quadrada do mesmo material, como goleiro fixo, uma pastilha a guisa de bola e uma “batedeira” do mesmo material e…por incrível que pareça, uma trave de arame com rede de filó, feita artesanalmente.
Como o prezado amigo deve de ter percebido, a história é longa e tem muito mais,como por exemplo: O início do “futebol miniatura”; Como surgiu a ideia de mudar o nome para “Bolagol”; visita da Polícia Federal durante a copa do mundo de 1970 (episódio cômico); Que empresa bloqueou o registro da marca “Bolagol”, etc.
Aposto que ninguém sabia que o “Bolagol” tinha algo a ver com a caneta “MontBlanc”.
A relação de times, começou a ser colocada junto nas caixas a partir de 1970. Antes, havia um bloquinho com as regras, que achamos desnecessário. A partir do momento que se colocou a relação de times, a procura aumentou. As relações variam por causa da época. A gente acrescentava ou suprimia e algumas lojas tinham exemplares mais antigos, então existia alguma diferença, já que não se colocava data nas relações. Íamos acrescentando conforme os clientes pediam. Os times do Paraná, acho que foram os mais modificados pelas fusões (Ferroviário que virou Colorado, Pinheiros, Água verde, etc). O Náutico do Recife também mudou o distintivo várias vezes. Quanto aos times de São Paulo, A.A.São Bento de São Caetano, Comercial da Capital, Ypiranga, Radium de Mococa, etc., começaram a ser fabricados no início dos anos 50, conforme iam subindo para a 1ª divisão.
O nome Bolagol, surgiu no final dos anos 60. Achamos que “Futebol Miniatura”, já estava meio que ultrapassado e então começamos a pensar em outro nome mais “compacto”. Várias idéias dentre elas, “Kigol” ou “kigolaço”, descartados porque o “Ki” estava registrado pela “Kibon” (sorvetes) tanto assim que, o “Ki Suco” (aquele pozinho para refresco instantâneo) teve que mudar para “Q Suco”.
Escolhido o nome “Bolagol”, tentamos registrar junto ao INPI mas a “Estrela” contestou, alegando que Bola e gol eram palavras de domínio público (na época, a Estrela contestava qualquer coisa). Cabia recurso mas percebemos que a história seria longa e com muito gasto. Desistimos e apareceu, logo depois, monte de jogo feito por “fábricas de fundo de quintal” usando o nome e variações como “Bola no gol”.
O Bolagol teve uma outra embalagem menos conhecida, já que era fornecida apenas para o “Supermercado Eldorado”.

Bolacril é uma versão mais moderna do mesmo fabricante.caixa-dupla-miniatura4

Gremio-Mirage
Guarani-Desconhecido PontePreta-Desconhecido Sport-Desconhecido

Santos-Mirage

Imagem  —  Publicado: 22 de agosto de 2016 em Mirage

SantaCruz-Mirage

Imagem  —  Publicado: 22 de agosto de 2016 em Mirage

Gremio-Desconhecido

Imagem  —  Publicado: 22 de agosto de 2016 em Krakes

Flamengo-Krakes

Imagem  —  Publicado: 22 de agosto de 2016 em Krakes

Cruzeiro-Krakes

Imagem  —  Publicado: 22 de agosto de 2016 em Krakes